terça-feira, janeiro 31, 2012

Confúcio e Júlio abrem ano letivo 2012

Solenidade será realizada nesta quarta-feira, dia 1º
Governador e secretário da Educação abrem Ano letivo em Vilhena

O governador Confúcio Moura e o secretário da Educação, Júlio Olivar, estarão em Vilhena, Rondônia, nesta quarta-feira (1º), para a abertura oficial do ano letivo 2012 da rede estadual de ensino. A solenidade será realizada na Escola Marechal Rondon, com início às 9h.Além do secretário e do governador, participarão da cerimônia deputados, vereadores, prefeitos do Cone Sul, empresários e autoridades do Poder Judiciário e Ministério Público.A cantora Márcia Brasileiro vai interpretar a canção “Nada será como antes”, de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, acompanhada da Orquestra Filarmônica de Vilhena e do violonista Jovino Lobaz. “Nada será como antes” é o tema do ano letivo das escolas estaduais.Cerca de mil pessoas são esperadas para o evento, que o governador Confúcio Moura vai apresentar os avanços da educação em Rondônia no primeiro ano de governo, e anunciar os projetos que a Seduc entrou em 2012 já desenvolvendo. “Este é um novo ciclo de governo que tem a educação como prioridade de suas ações”, avalia Júlio Olivar.
INÍCIOS DAS AULAS
Em razão da cerimônia de abertura do ano letivo, do qual participarão os trabalhadores da Educação de Vilhena, as aulas começam na próxima quarta-feira, dia 1° de fevereiro, para as turmas do período da tarde e da noite. Os estudantes do período da manhã terão aulas somente a partir de quinta-feira, dia 2 de fevereiro.Apenas os alunos da Escola Marechal Rondon terão atividades no período matutino do dia 1º. “Na manhã da quarta-feira os pais ou responsáveis por alunos devem embarcar nos ônibus do transporte escolar apenas os alunos da Escola Marechal Rondon”, orienta a Representação de Ensino de Vilhena.

Nota da Seduc

O secretário de estado da Educação, Júlio Olivar, vem a público consternar-se pelo falecimento da senhora Armesina Loyo Moreira, nesta madrugada em Porto Velho, Rondônia.

Corregedorias atuam como ilhas isoladas, reclama Eliana Calmon


Foto: Aílton de Freitas / O Globo

Mariângela Gallucci, Estadão.com.br
Dois dias antes de o Supremo Tribunal Federal decidir quem pode começar investigações contra magistrados (a corregedoria nacional ou as corregedorias locais), a corregedora Eliana Calmon (foto acima) afirmou na segunda-feira, 30, que os órgãos encarregados nos tribunais de apurar as suspeitas "atuam como ilhas isoladas". E pregou a união entre os órgãos para evitar o desperdício de forças.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Educação e cooperação

 No primeiro ano de seu governo, Confúcio Moura já anuncia 28 obras prestes a serem inauguradas. São reformas, ampliações, novas salas de aula, dentre outras benfeitorias. Além disso, houve reparos em 270 escolas no Estado de Rondônia (Escola de Cara Nova), empregando mais de R$ 30 milhões. Em breve, o governo da Cooperação anunciará várias obras importantes, a exemplo da escola que será edificada na área onde funciona hoje a Casa de Detenção e Delegacia de Polícia de Vilhena.  Em Porto Velho e em Ji-Paraná serão edificadas escolas Padrão Mec, com recursos do Ministério da Educação e da própria Secretaria de Estado da Educação, segundo Júlio Olivar.

Corretor de seguros sem ética pode ser julgado por comitê

Para garantir a ética e o zelo na profissão do corretor de seguros, a Fenacor lançou o Código de Ética, como afirma um dos idealizadores do projeto, Roberto Barbosa, que é também presidente do Comitê Nacional de Ética da entidade. "A importância em aderir ao Código, por parte do corretor, está em demonstrar o seu espírito profissional e seu comprometimento com suas atividades", enfatiza. Ele explicou ainda que basta acessar o site da Fenacor, preencher o termo, imprimir, assinar e levar o documento ao Sincor. "O termo será encaminhado à Fenacor, que expedirá o diploma de adesão". Segundo Barbosa, o corretor precisa trabalhar de forma correta todos os dias. "Ter ética como corretor de seguros é zelar pela conduta profissional, ser verdadeiro, explicar com clareza a respeito das coberturas, assim como passar sempre as informações corretas e prestar assistência ao segurado".

Como funcionam as denúncias
Cada Sindicato tem o seu próprio Comitê de Ética. As denúncias são examinadas e julgadas. Após a análise e julgamento, o Sincor encaminha a cópia do processo para a Fenacor. Em havendo recurso, o Comitê Nacional de Ética, em segunda instância, passará adiante à revisão do julgamento da primeira instância e o enviará à Susep. Assim, ao ficar comprovado que houve lesão ao segurado ou segurador, ou se a ação do corretor denegriu diretamente a classe, fica a cargo da Superintendência avaliar o caso e aplicar as penalidades cabíveis. Barbosa destaca também que, independente de ter aderido ou não ao Código de Ética, qualquer corretor pode ser julgado pelo Comitê do seu Sindicato, "pois a classe precisa zelar pela reputação de seus membros". Para finalizar, ele ressaltou que, antes de ser lançado o Código, os Sindicatos recebiam em média cerca de três a quatro denúncias por ano. E para alegria dele, no ano de 2011, não houve nenhum processo por parte do Comitê. "Isso mostra que os corretores estão trabalhando na linha", conclui.
Fonte: Fenacor, Sincor RO AC e Ronseg, corretora de seguros.

Sincor firma parceria com faculdade

Numa feliz iniciativa do presidente Geraldo Cavalcante, diretoria e gerência, o Sincor RO AC acaba de firmar importante parceria com a faculdade Faro em Porto Velho. A decisão gera para os corretores de seguros ativos, imediato desconto no ato de matrícula em qualquer um dos cursos ministrados pela instituição de ensino superior de Rondônia. O ato de solicitação do benefício, requer a apresentação da carteira de habilitação de corretor de seguros e correspondente declaração do Sincor.

Charge


O corretor de seguros e as redes sociais

Diante da crescente importância da internet no dia a dia de pessoas e empresas, muitos corretores indagam se vale a pena apostar nas redes sociais. E é quase impossível encontrar alguém que não defenda o Facebook, Twitter e Orkut como importantes ferramentas de relacionamento com os clientes.Na contramão da opinião dominante, a consultoria L3 CRM aponta que estar nas redes sociais não é para qualquer um, "apesar de parecer um ótimo negócio", como sustenta o diretor Leandro Lopes, em matéria publicada pelo MSN Brasil, na sexta-feira (27/01).Segundo a L3 CRM, a decisão depende de muitos fatores. Fazendo um paralelo, deve-se analisar, em primeiro lugar, se a corretora tem algo a dizer que não se esgota nos canais tradicionais de comunicação, como site, newsletters e anúncios. "Um perfil desatualizado pode passar uma imagem de desleixo, e você não quer esse valor aliado à sua marca, quer?".Outro ponto ressaltado pela L3 CRM é a relevância do discurso. "As pessoas não tem tempo de ler "chatices". Elas podem até passar tempo demais na internet, mas não será lendo algo que não chama a atenção".Além disso, não é tão fácil entrar e permanecer nas redes sociais. A tarefa exige pessoal qualificado, que pode demandar grande investimento de tempo e dinheiro.Se o corretor continua indeciso sobre o assunto, o passo seguinte é avaliar em que nível está o modelo tradicional de relação com os segurados e potenciais clientes. "Como anda seu site e SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor)? A menos que tudo funcione às mil maravilhas, essa não é a hora de aventurar-se nas redes".E quanto ao medo do que podem falar de sua corretora? "Alguém pode reclamar do seu produto ou serviço. E você não pode impedir isso. Há como responder de forma eficaz e conquistar aquele cliente de volta, mas não há a possibilidade de controle sobre o teor das conversas. Ou você se acostuma a lidar com isso, ou é melhor ficar de fora".Agora, chega o momento de tomar a decisão final. O corretor pode reunir muitos dados, mas isso também não é garantia de que vai entender melhor o cliente e vender mais. "A empresa precisa ter um objetivo claro de como utilizar a informação. Estratégia é tudo. E nas redes sociais não poderia ser diferente".

Fonte: CQCS | Sincor RO AC e Ronseg, corretora de seguros

domingo, janeiro 29, 2012

Rondônia poderá criar bolsa-escola


Para o governador, é melhor pagar meio salário para jovem estudar que pagar R$ 2,3 mil para apenado
Confúcio anuncia criação de bolsa-escola

Ao assinar na manhã desta sexta-feira (27) um convênio com o prefeito de Nova União, Luiz Gomes, para a ampliação da escola estadual de ensino fundamental e médio Maria Goretti, o governador Confúcio Moura anunciou a criação de um programa de bolsa-escola que vai pagar para que alunos filhos de famílias em condições de pobreza e de extrema pobreza estudem.O programa, segundo ele, será destinado a famílias que muitas vezes tiram os filhos da escola para que possam ajudar de alguma forma no aumento da renda familiar.O governador explicou que o bolsa-escola será um item de um programa muito maior, que é o Programa Integrado de Desenvolvimento Inclusivo, Social e Econômico (Pidise), cujo projeto de criação será encaminhado à Assembléia Legislativa já em sua primeira sessão, após o recesso. O programa prevê a reestruturação geral do ensino público estadual.Já antevendo críticas e questionamentos sobre o pagamento para que alunos freqüentem as escolas, o governador foi muito aplaudido pelo público que lotou o auditório da Câmara de Vereadores, ao dizer que prefere “pagar meio salário mínimo por aluno para mantê-lo na escola e formá-lo um cidadão responsável, que ter de pagar R$ 2,3 mil por apenado porque muitas vezes não teve incentivo para o estudo”.Confúcio Moura explicou que o Pidise prevê investimentos maciços na educação, com melhoria de todas as escolas, implantação da educação integral, ensino técnico profissionalizante, instalação de equipamentos de ar-condicionado em todas as salas de aulas, com a consequente restauração da rede elétrica de todas elas e a disponibilidade de internet gratuita nos muncípios, entre várias outras ações.

Futuro

O governador fez um apelo ao prefeito e aos vereadores, para que ajudem o governo a localizar e identificar famílias que sobrevivem em condições de extrema pobreza, algumas com renda familiar na faixa de R$ 70 mensais. “Não vamos permitir nenhum rondoniense passando fome, não vamos deixar esse quadro de indignidade humana”, disse o governador, ao falar sobre o Plano FutuRO.Segundo Confúcio Moura, o Basa tem disponível R$ 750 milhões para financiar a produção e o governo vai ajudar na viabilização destes financiamentos. “Tem uma linha do Pronaf Especial, na qual o produtor pode obter até R$ 2 mil e, além de não pagar juros, ainda tem descontos e paga com R$ 1,5 mil. Outras linhas, de maiores valores, oferecem juros menores que os da poupança. Essa é a hora da produção moderna. Vamos fazer com que os lotes rurais produzam comida”, convocou o governador, ao reafirmar sua disposição em implantar 800 agroindústrias no Estado. Participaram ainda da cerimônia de assinatura do convênio, deputados e o secretário de Estado Julio Olivar, da Educação; a assessoria especial do governador, prefeitos e vereadores da região e colaboradores do governo.

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Rondônia realiza nova fase de curso de formação indígena


O Estado, através da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) deu início na segunda-feira (23) a 5ª Fase do “Curso de Formação Inicial para Professores Indígenas – Projeto Açaí II”, as aulas do curso se estenderão até 27 de fevereiro. A solenidade de abertura aconteceu no Centro de Treinamento da Emater - Centrer, em Ouro Preto D’Oeste, teve a participação de autoridades locais, representantes da Universidade Federal de Rondônia (Unir), do Conselho Estadual de Educação e das comunidades indígenas de Rondônia. A Seduc destaca que a marca do governo Confúcio Moura é investir cada vez mais em educação, portanto tratar da educação indígena de forma diferenciada tem sido um esforço constante de toda a equipe técnica que acompanha este desafio. “O esforço tem sido muito grande por parte de todos, em especial dos técnicos do núcleo de educação indígena da Seduc, para realizar cada etapa do projeto Açai II. Mas juntos e com a perspectiva de avanços e melhorias já estamos trabalhando uma agenda positiva para realizar o aprimoramento das ações continuadas  que estarão esboçadas no projeto pedagógico da formação continuada para os professores indígenas de Rondônia”, disse.A 5ª fase do projeto Açaí é positiva para os futuros professores indígenas, pois   esta sendo ultrapassada a metade do curso e até o momento não houve estudantes desistentes, dos 174 matriculados. “Este curso é muito importante para os indígenas, pois  dará sustentação na educação escolar dentro das suas aldeias. As dificuldades são grandes, mas a dedicação dos alunos é de empolgar a todos nós. Eles acreditam muito no projeto que a Seduc vem desenvolvendo, por trazer motivação e melhorias no aprendizado e na forma de conduzir a educação indígena”, afirma a coordenadação do Açaí II. Nesta 5ª fase está sendo dada continuidade à formação dos 174 professores indígenas matriculados.

O corretor de seguros e o novo CC


"O Corretor de Seguros à Luz do Novo Código Civil" tem a finalidade de dar alguns esclarecimentos, de forma objetiva e transparente, aos Corretores de Seguros, cujos temas estão relacionados ao Contrato de Seguro e ao Direito de Empresa, os quais nos interessam mais diretamente.Transcrevemos, na íntegra, a Lei nº 4.594,de 29/12/1964, que regulamenta a nossa profissão, bem como o capítulo XI, do Decreto-Lei nº 73, de 21/11/1966, acompanhados de uma apresentação de Cristovão de Moura, corretor de seguros nº 1, que ao longo dos últimos 40 anos tem prestado relevantes e importantes serviços à nossa profissão.Também, nessa publicação, colocamos um item que trata, especificamente, das Responsabilidades do Corretor de Seguros, enfocando não apenas as disposições contidas no novo Código Civil, como outras leis.Fenacor.Clique abaixo para ler em formato PDF, para salvar clique com o botão direito antes de ler:

- Capa
- Sumário
- Livro

Governo constituirá patrulha escolar





As escolas estaduais de Porto Velho estão prestes a contar com importante reforço na segurança dos alunos. Em breve, o Governo do Estado constituirá a Patrulha Escolar na capital.Com essa finalidade, na tarde desta quarta-feira (25) ocorreu a primeira reunião entre os secretários Júlio Olivar (da Educação) e (da Segurança, Defesa e Cidadania), da qual participaram técnicos da Seduc e Sesdec.Entre as ações intersecretarias para a criação da Patrulha Escolar destacam-se a aquisição de veículos e a convocação de policiais militares da reserva para atender à demanda de pessoal. Os policiais passarão por treinamento especial e serão capacitados para o trabalho no ambiente estudantil.O objetivo principal da Patrulha Escolar é a prevenção contra a criminalidade nas escolas e seus arredores, visando à redução da violência, a partir da aproximação entre policial e comunidade escolar.De acordo com a Seduc, a medida será anunciada em coletiva ainda a ser agendada, após a conclusão de todos os estudos necessários para a assinatura do termo de cooperação técnica entre as duas pastas.

quarta-feira, janeiro 25, 2012

Um corretor ativo para cada 3 mil brasileiros, afirma diretor Geraldo Cavalcante

O mercado da corretagem de seguros começou 2012, em sua primeira semana de janeiro, com 70.258 profissionais e empresas em plena atividade no País, o equivalente a um corretor para quase 3 mil brasileiros, afirma o diretor da Fenacor, Geraldo Cavalcante. São 45.956 corretores que operam na forma de pessoa física e autônoma, somados a outros 24.302 que se organizaram empresarialmente, para uma população de 190,7 milhões, como aponta o Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Juntos, corretores e corretoras de seguros agregam 51.276 pontos de vendas voltados para todas as modalidades de seguros, ao lado de mais 18.982 posições dedicadas à comercialização exclusiva de seguros de vida, planos de previdência complementar aberta e títulos de capitalização.

Charge


terça-feira, janeiro 24, 2012

Charge


Seguro de pessoa cresce mais que o de veículos, diz Geraldo Cavalcante


A venda de seguros de pessoas segmento que envolve seguros como cobertura de acidentes pessoais, de vida ou por invalidez e seguros imobiliários é o mais vendido no País, superando os seguros de saúde e até o de automóveis. Mesmo com a crescente venda de veículos, a aquisição desse tipo de apólice ficou em terceiro lugar no ranking em 2011 admite o presidente do Sincor RO AC, Geraldo Cavalcante.

domingo, janeiro 22, 2012

Venda on-line é a nova fronteira para corretoras


Quando o assunto é venda pela internet, o mercado de seguros brasileiro está bastante atrasado. Mas essa caretice digital pode estar com os dias contados. Uma nova geração de corretores de seguros começa a apostar na venda on-line de apólices. A migração, porém, está longe de ser um processo suave, reavivando velhas polêmicas e dividindo seguradoras.Nos últimos meses, entraram em operação pelo menos quatro corretoras cujo único canal de distribuição é a internet: Economize no Seguro, Sossego, Smartia e Minuto Seguros. O movimento dessas corretoras on-lines foi encampado por algumas das maiores seguradoras, entre elas Bradesco Seguros, Liberty e Tokio Marine. Mas ainda sofre resistência da maior seguradora de automóveis, foco inicial dessas corretoras, a Porto Seguro. Fonte: Sincor RO AC e Ronseg, corretora de seguros.

Charge


Charge


sexta-feira, janeiro 20, 2012

Seduc recebeu jovem talento

O secretário de Estado da Educação, Júlio Olivar, recebeu na quarta-feira (18), em audiência, o estudante Weslei Rodrigo Oliveira, de 18 anos, jovem talento de Rondônia, que se destacou entre 900 mil candidatos, classificando seu projeto de lançamento de foguetes em 4º lugar na XIV Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, realizada em São Paulo.
Secretário da Educação recebe jovem talento de Rondônia

Com o excelente resultado, Weslei também participou da VII Jornada Espacial, promovida pela Agência Espacial Brasileira, órgão vinculado ao Ministério da Ciência e da Tecnologia.O projeto foi desenvolvido na escola estadual Marcelo Cândia, de Porto Velho, onde Weslei cursava o 3º ano do ensino médio, concluído em 2011.Como forma de incentivo pela conquista, o secretário Júlio Olivar convidou o estudante para a solenidade de abertura do ano letivo 2012, no dia 1º de fevereiro em Vilhena, onde será agraciado com homenagem da Seduc.Também participaram da audiência a secretária adjunta da Educação, Sueli Aragão, e os professores Francisco de Assis e Antônio de Moura Fé.

Dpvat paga mais de 655 indenizações diárias por invalidez, afirma Geraldo Cavalcante

Em 2011, o seguro Dpvat pagou, em média, a cada dia, 656 indenizações a vítimas de acidentes no trânsito por invalidez permanente. No total, foram 239.738 registros ao longo do ano, 58% a mais do que em 2010, o que confirma a condição do Brasil como um dos países com o trânsito mais violento de todo o mundo. “São números lamentáveis”, afirmou o presidente do Sincor RO AC, Geraldo Cavalcante, ao anunciar, hoje, dados referentes ao pagamento de indenizações em 2011.

Charge


quinta-feira, janeiro 19, 2012

Charge


Charge


Indenizações por acidentes de trânsito no país cresceram 45 por cento em 2011, segundo Geraldo Cavalcante


O seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) bateu recorde de indenizações pagas no ano de 2011, com um aumento de 45% em relação a 2010. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (18) pela seguradora administradora do DPVAT. No ano passado, 366.356 pessoas receberam o seguro no Brasil, totalizando R$ 2,287 bilhões pagos.Para o presidente do Sincor RO AC, Geraldo Cavalcante,o aumento expressivo do número de indenizações é resultado de uma combinação de fatores: imprudência no trânsito, combinação de álcool e direção, alta velocidade, falta do uso do cinto de segurança e a criação de novos pontos de atendimento, o que levou o serviço para mais próximo das vítimas, fazendo com que os pedidos de indenização aumentassem.Segundo o levantamento, cresceu o número de pagamentos por morte. Em 2010, foram 50.780 indenizações, enquanto no ano passado o total foi de 58.134. Também houve elevação nos acidentes que causaram invalidez permanente. Em 2011, o número é 58% maior do que em 2010. No ano passado foram 239.738 indenizações devido a esse tipo de dano.A pesquisa mostrou que 51 % dos acidentados eram jovens entre 18 e 34 anos, parcela onde se concentra a população economicamente ativa do país.Segundo o levantamento, as maiores vítimas do trânsito no Brasil em 2011 foram os pedestres, que receberam 49,30% das indenizações pagas, seguidos de passageiros com 25,61% e de motoristas e motociclistas com 25,09%.Quando o extrato é por categoria de veículos, a moto foi a grande vilã das ruas. De acordo com a pesquisa, 65% dos acidentes indenizados envolveram motociclistas. Considerando os casos de invalidez permanente, em 2011, os acidentes com motocicletas representaram 72% das indenizações. O crescimento da frota deste tipo de veículo tem contribuído para o aumento dos casos.O seguro DPVAT foi criado há 38 anos por uma lei federal. De acordo com a seguradora, em média as indenizações são pagas em 30 dias após a apresentação da documentação necessária. Em caso de morte ou de invalidez permanente, o valor é de até R$ 13.500. Já a indenização para cobrir despesas médicas, chega a até R$ 2.700.O próprio acidentado ou herdeiro pode dar entrada no pedido de indenização e/ou reembolso do seguro DPVAT, não sendo necessário o auxílio de intermediários ou advogados, já que o procedimento é simples e gratuito.Basta juntar a documentação necessária, que varia conforme o acidente, e levar ao ponto de atendimento mais próximo. Os recursos do seguro são financiados pelos proprietários dos veículos, por meio de pagamento anual.Do total arrecadado, 45% é repassado ao Ministério da Saúde para custeio hospitalar das vítimas de acidentes de trânsito. Outros 5% são repassados ao Ministério das Cidades para aplicação em programas de prevenção aos acidentes. Os demais 50 % são voltados para o pagamento das indenizações.

quarta-feira, janeiro 18, 2012

Charge


Garantia estendida pode crescer, diz Geraldo Cavalcante


O crescimento das vendas no varejo ao longo de 2011 foi acompanhado também pelo fortalecimento dos seguros massificados em todo o Brasil, como seguro-desemprego para quitação de dívidas e garantia estendida.De acordo com Geraldo Cavalcante, diretor da Fenacor e presidente do Sincor RO AC, em 2010 a venda de garantia estendida foi contratada para 20% dos produtos eletroeletrônicos.Já em 2011, o percentual atingiu 30% e a previsão para 2012 é de um crescimento de 40%. Ou seja, em dois anos a adesão terá dobrado para os produtos que mais estão nos sonhos dos brasileiros.Com ele, é possível esticar o tempo em que o eletrônico pode ser reparado sem custos adicionais por um período que varia entre um e três anos depois do término da garantia da fábrica.Assim como os demais seguros massificados, a garantia estendida pode ser adquirida pelo consumidor no ato da compra.

Charge


terça-feira, janeiro 17, 2012

Seguro residencial responde por mais de 3 por cento do mercado, de acordo com o Sincor


É bem conhecido o ditado que diz que prevenir é melhor do que remediar. Entretanto, é no momento dos prejuízos que boa parte das pessoas descobre que poderia ter evitado o problema ou, pelo menos, amenizado as suas consequências. Isso vale para o mercado de seguros residenciais. Diferente do seguro de automóveis, responsável por 49,5% do mix oferecido pelo mercado no primeiro semestre de 2011 responde apenas por 3,2% do mercado.O fato é que, embora casa própria seja o sonho de consumo de boa parte da população, poucos se preocupam em fazer o seguro. A modalidade é pouco conhecida no país. "O Brasil possui segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 58 milhões de domicílios. E estima-se que em torno de apenas 10% das residências possuam algum tipo de proteção". O seguro residencial é mais comum em países como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e França. O valor do seguro depende das coberturas contratadas. "Normalmente, o seguro residência custa em torno de 0,1% do valor do imóvel", diz o presidente do Sincor RO AC, Geraldo Cavalcante. Fonte: Ronseg, corretora de seguros e Sincor RO AC.

Estante Legal

Serviço:
Título: Arbitragem - 15 anos da Lei N. 9.307/96
Autores: Antônio Pereira Gaio Júnior e Rodrigo Almeida Magalhães (coordenadores)
Editora Del Rey
Edição: 1ª Edição - 2012
Formato: Brochura
Número de Páginas: 240
Preço: R$ 46,40
Serviço:
Título: Arbitragem Comercial Internacional – A Convenção de Nova Iorque e o Direito Brasileiro
Autores: Arnold Wald e Selma Ferreira Lemes (coordenadores)
Editora: Saraiva
Edição: 1ª Edição – 2011
Número de páginas: 445 páginas
Preço: R$ 115,00

sábado, janeiro 14, 2012

Charge


Charge


Corretores de seguros, segundo avaliação de Geraldo Cavalcante

Mesmo neste período de pós-festas de início de ano, novos profissionais buscam seu espaço no mercado para trabalhar como corretores de seguros. Dados da Fenacor, segundo o diretor Geraldo Cavalcante, indicam que em apenas sete dias úteis (entre 1º e 09 de janeiro) foram registrados 50 novos corretores, o que corresponde a mais de sete registros por dia. Desse total, 33 são corretores pessoas físicas e 17 empresas de corretagem.

sexta-feira, janeiro 13, 2012

Classes C e D têm investido, segundo Sincor



O aumento no poder de compra da população brasileira agora movimenta também o setor de seguros. Preocupada com o futuro da família, muita gente tem aderido ao seguro de vida.Em 2011, as vendas desse serviço cresceram 25% em relação ao ano anterior. De acordo com Geraldo Cavalcante, diretor da Fenacor e presidente Sindicato dos Corretores de Seguros RO AC, esse aumento vem das classes sociais menos favorecidas. "Agora, esse investimento está sendo feito também pelas classes C e D", afirma. No ano passado, o setor faturou R$ 9,3 bilhões só nos primeiros três meses. O valor do seguro varia de acordo com o perfil do segurado. Os critérios vão desde a idade até a prática de esportes e o hábito de fumar.Mas, antes de fechar o contrato, é importante se certificar de que o vendedor é mesmo corretor de seguros. "Somente um corretor conhece a área e pode indicar o melhor serviço para cada caso", encerra Geraldo.

Charge


Charge


quinta-feira, janeiro 12, 2012

Construção civil impulsiona mercado de seguros, diz Sincor


O bom momento pelo qual passa a construção civil, impulsionado principalmente pelas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e de infraestrutura está favorecendo os negócios do mercado de seguros. De acordo com Geraldo Cavalcante, presidente do Sincor RO AC, o aquecimento do mercado está provocando um aumento não só da procura pelos seguros de obras, como também de saúde, vida e equipamentos.

quarta-feira, janeiro 11, 2012

Seduc diz que chamada escolar é apenas para alunos não matriculados em escolas estaduais


A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que a Chamada Escolar, que está sendo realizada até a próxima sexta-feira (13), das 8 às 17 horas, em Porto Velho e no distrito de Jaci-Paraná, é destinada apenas aos alunos que não estão matriculados em escolas estaduais. Ou seja, para estudantes que vêm de escolas particulares, da rede municipal da Capital e de outros municípios ou estados.Foram cadastradas 11 mil vagas para atender especificamente às matrículas desses novos alunos. “A iniciativa garante que nenhum estudante que procure a rede estadual fique fora da sala de aula por falta de oferta de vagas no ano letivo de 2012”. Os interessados podem se dirigir a qualquer uma das escolas polos (veja abaixo calendário com local, data e horário de atendimento), independentemente da escola estadual onde deseja que seu filho estude. Ao ser atendido, o pai ou responsável pode indicar uma das 86 escolas estaduais de Porto Velho na qual pretende matricular o filho.No momento do atendimento, o funcionário da Seduc consulta o sistema interligado e verifica se há a vaga na escola sugerida. Em caso positivo, o pai ou responsável recebe, de imediato, um encaminhamento de matrícula. Com esse documento, vai à secretaria da escola escolhida entre os dias 16, 17 e 18 de janeiro para efetivar a matrícula.Nos casos em que a vaga inexista na escola selecionada, o sistema fornece o nome de outra escola da rede estadual nas proximidades da primeira opção. “Assim, estamos ofertando a vaga. O pai ou responsável que recusar a fazer a matrícula na escola recomendada, precisará assinar um termo de responsabilidade, em que atesta que o Estado ofereceu-lhe a vaga”. Nesta terça-feira (10), primeiro dia da Chamada Escolar estadual, foram feitos 3.570 encaminhamentos de matrículas, que já são vagas garantidas para os novos alunos que estão entrando na rede estadual de ensino.

Rematrículas
Os alunos que cursaram o ano letivo de 2011 em instituições de ensino da rede estadual e vão continuar os estudos na mesma escola não precisam participar da Chamada Escolar.Para esses, as rematrículas são automáticas e já foram feitas em dezembro do ano passado.

Transferências
Os pedidos de transferências de alunos da rede estadual para outras escolas estaduais de Porto Velho deverão ser requeridos somente nos dias 25, 26 e 27 de janeiro de 2012, na Escola Barão de Solimões, localizada na Rua José Bonifácio, 315, Centro (ao lado da Catedral), das 8h às 17h.


CALENDÁRIO DA REDE ESTADUAL DE ENSINO (Porto Velho e distrito de Jaci Paraná)

DATA E HORÁRIO
LOCAIS
CHAMADA ESCOLAR
10/01/2012 – das 8h às 18h
11 a 13/01/2012 – das 8h às 17h
Nas escolas polos, conforme tabela abaixo
MATRÍCULAS DE NOVOS ALUNOS NA REDE ESTADUAL – AQUELES INSCRITOS NA CHAMADA ESCOLAR
16, 17 e 18 /01/2012 – das 8h às 17h
Nas escolas indicadas no “Encaminhamento de Matrícula” recebido pelo pai ou responsável
TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS JÁ MATRICULADOS NA REDE ESTADUAL
25 a 27 /01/2012 – das 8h às 17h
Escola Estadual Barão do Solimões
End.: Rua José Bonifácio, 351 – Centro
 


ESCOLAS POLOS DE ATENDIMENTO EM PORTO VELHO

ZONA CENTRO
- EEEFM Mal. Castelo Branco
End.: Av. Farquar, 2739 – Arigolândia
- EEEFM Barão do Solimões
End.: Rua José Bonifácio, 351 – Centro
- EEEFM Dr. Osvaldo Piana
End.: Rua Montes Claros, 6614 – Nacional
 - EEEF 21 de Abril
End.: Rua Rafael Vaz e Silva, 2812 – Liberdade
 - EEEFM Rio Branco
End.: Rua Rafael Vaz e Silva, 1250 – Nossa Senhora Das Graças
- EEEFM 04 de Janeiro
End.: Rua Gregório Alegre,  5761 – Aponiã
- EEEF Santa Marcelina
End.: Rua Belo Horizonte, 331 – Embratel


ZONA SUL
- EEEFM Estudo e Trabalho
End.: Rua Alexandre Guimarães,1340 –Areal
 - EEEFM Eduardo Lima e Silva
End.: Rua Daniel Nery, 1089 – Nova Floresta
- EEEFM Pres. Tancredo Neves
End.: Rua Tancredo Neves, 4718 –
- EEEFM Bela Vista
End.: Rua Gov. Valadares, 3601 – Conceição


ZONA LESTE
- EEEFM Juscelino Kubitschek
End.: Rua Raimundo Cantuária, 5129 – Agenor de Carvalho
- EEEFM Flora Calheiros
End.: Rua Assis Chateaubriand, 7643 - Esperança da Comunidade
- EEEFM Orlando Freire
End.: Rua Rio de Janeiro, 4864 – Lagoa
- EEEFM Daniel Nery
End.: Rua Benedito Inocêncio da Silva ,SN JKI
- EEEFM Risoleta Neves
End.: Rua Edite Feitosa, 8158 – Tancredo Neves
- EEEFM Marcos de Barros Freire
End.: Rua Afonso Rivero, QD 15,2701 - Ulisses Guimarães
- EEEFM São Luiz
End.: Rua Turmalina,  10015 – Jd. Santana




ESCOLA POLO DE ATENDIMENTO EM JACI-PARANÁ

DISTRITO DE JACI-PARANÁ
- EEEFM Maria de Nazaré dos Santos
End.: Rua Pedro Osório, 181, BR-364,, Km 88 – Velha Jaci-Paraná

"Bico" de mais de R$16 mil irrita servidor público que trabalha



Com ganhos de R$ 36,4 mil, Líscio Camargo tem vaga reservada para seu Mercedes no anexo do ministério (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Com ganhos de R$ 36,4 mil, Líscio Camargo tem vaga reservada para seu Mercedes no anexo do ministério

O serviço extra que o subsecretário de Política Fiscal do Tesouro Nacional, Marcus Pereira Aucélio, está fazendo no Banco de Brasília (BRB) é ilegal e acabou gerando mal-estar ainda maior no Ministério da Fazenda, já incomodado pelas reportagens do Correio sobre os megassalários recebidos por ministros e secretários na Esplanada — entre R$ 32,7 mil e R$ 51 mil. Aucélio é, desde fevereiro de 2011, membro do Comitê de Auditoria da instituição financeira do Distrito Federal, do qual embolsa R$ 16.405,78 por mês.Analista de finanças e controle concursado do Tesouro, o subsecretário — conhecido como o responsável por dizer não aos pedidos de liberação de recursos de parlamentares, governadores, prefeitos e até de ministros — participa ainda de dois conselhos de empresas como representante da União: o fiscal da Petrobras e o administrativo da AES Eletropaulo. Como seu salário no Tesouro é de R$ 23,7 mil, ele tem embolsado, no total, R$ 51 mil brutos por mês. O artigo 17 da Lei nº 11.890, de 2008, proíbe os integrantes da carreira de gestão, caso de Aucélio, de “exercerem outra atividade remunerada, pública ou privada, potencialmente causadora de conflito de interesses, ressalvado o exercício do magistério, havendo compatibilidade de horários”. A norma admite apenas colaboração esporádica mediante autorização do ministro da pasta responsável ou a participação em conselhos administrativos e fiscais de empresas em que a União detenha participação no capital social, direta ou indiretamente. Um decreto proíbe os servidores de receberem por mais de dois conselhos.O Ministério da Fazenda tem se recusado a comentar a situação irregular do subsecretário do Tesouro Nacional desde segunda-feira. Ontem, questionado mais uma vez sobre o caso, o órgão respondeu que não vai se manifestar. De acordo com informações obtidas pelo Correio, Aucélio será obrigado a abrir mão do “bico” no BRB.

Disputa
O trabalho extra de Aucélio causou ainda mais indignação entre os servidores do órgão porque a cúpula da Secretaria do Tesouro Nacional editou portaria em junho do ano passado restringindo o direito dos funcionários de darem aulas em colégios e faculdades — que rendia uma remuneração extra a eles — durante o horário regulamentar. Antes, eles podiam exercer o magistério na parte da manhã, por exemplo, e fazer a compensação dos horários trabalhando até mais tarde. A portaria foi elaborada pela área do subsecretário de Assuntos Corporativos do órgão, Líscio Fábio Camargo, que recebe remuneração total de R$ 36,4 mil brutos por mês graças a jetons de dois conselhos: um da Transpetro, subsidiária da Petrobras, de R$ 6,4 mil; e outro da empresa privada Neoenergia, que tem entre os sócios o Banco do Brasil Investimentos e o fundo de pensão Previ, do BB, de R$ 6,3 mil. Cedido ao Tesouro Nacional, Camargo é servidor de carreira do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Pontuação

Em razão do dinheiro extra que rende, e sem muito esforço — em geral, uma reunião por mês —, é grande a disputa na Secretaria do Tesouro Nacional pela participação em conselhos administrativos e fiscais de empresas. Formalmente, há um sistema de pontuação para as dezenas de servidores que se habilitam a integrar algum deles. Mas os pontos não são divulgados e os escolhidos são sempre os mesmos — os da cúpula.

Regalias

Além de abocanharem os conselhos fiscais das estatais e empresas em que a União tem participação — que pagam mais — e embolsarem megassalários acima do teto constitucional do funcionalismo, de R$ 26,7 mil, os subsecretários do Tesouro Nacional Líscio Camargo, Marcus Aucélio e Paulo Valle desfrutam de outras regalias. Eles têm vagas cativas no estacionamento público do prédio anexo ao Ministério da Fazenda, com direito até a uma guarita de segurança, com um vigia pago pelos cofres públicos. Há cones impedindo o acesso de veículos dos demais servidores do órgão.

Charge


Charge


terça-feira, janeiro 10, 2012

A Seduc informa...


Srs. Pais, Mães e/ou responsáveis legais: informamos que a chamada escolar que está sendo feita nesta semana, convoca APENAS os alunos não matriculados na rede estadual de ensino.As SOLICITAÇÕES DE TRANSFERÊNCIAS deverão ser requeridas no período de 25 a 27 deste mês, na escola Barão de Solimões, situada na rua José Bonifácio, 315 – Centro, Porto Velho, RO (ao lado da Catedral), no horário comercial.

Servidor do Tesouro tem maior salário do Brasil


Ele realmente é o homem do dinheiro. Segundo na hierarquia do Tesouro Nacional, o subsecretário de Política Fiscal, Marcus Pereira Aucélio, é mais conhecido como a autoridade que de fato diz não aos pedidos de recursos de parlamentares e até de ministros para todo tipo de despesa, incluindo reajustes salariais para servidores públicos. Tão potente quanto o poder da sua canetada é o tamanho do seu contracheque. Engenheiro florestal e analista de controle do Tesouro Nacional de carreira, Aucélio embolsa por mês R$ 51 mil por causa do cargo, quase o dobro do teto do funcionalismo previsto na Constituição, atualmente de R$ 26.723,13. É bem mais que os salários recebidos por ministros, que abocanham remunerações de até R$ 45,7 mil, conforme mostrou a mídia no domingo. O contracheque é inflado por jetons, recebidos pela participação em conselhos de estatais e de empresas privadas com capital da União. O salário do subsecretário do Tesouro é de R$ 23,7 mil, mas ele ganha mais R$ 27,3 mil de dois conselhos — da Petrobras e da AES Eletropaulo — e do Comitê de Auditoria do Banco de Brasília (BRB). Mas seus vencimentos podem chegar a R$ 70 mil num mês. Basta que ele participe de uma reunião mensal do Conselho Fiscal da Vale, do qual é suplente, caso o titular não possa comparecer.

Participações
Decreto presidencial determina que os representantes da União nessas companhias só podem receber por, no máximo, dois conselhos. Procurado, o Ministério da Fazenda se negou a informar quais entidades o subsecretário do Tesouro integra e a base legal para que ele embolse jetons de três delas. Da AES Eletropaulo, em que a União tem uma participação minoritária, o segundo homem do Tesouro ganha R$ 3,8 mil brutos por mês. Pela participação no Conselho Fiscal da petrolífera, embolsa outros R$ 7.090. O que lhe rende mais, no entanto, é o trabalho na auditoria do BRB, R$ 16.405,78 brutos. Embora também receba um megassalário, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ganha um pouco menos que Aucélio, seu subordinado. A participação nos conselhos da BR Distribuidora e da Petrobras elevou os rendimentos de Mantega de R$ 26,7 mil para R$ 40,9 mil. O mesmo ocorreu com sua colega do Planejamento, Miriam Belchior. O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, embolsa, no total, R$ 38,7 mil. Ele engorda o salário de R$ 26,7 mil de ministro em mais R$ 12 mil ao participar da administração das empresas privadas Brasilprev e Brasilcap. Celso Amorim, da Defesa, é agraciado com R$ 45,7 mil, com o conselho da Itaipu. O secretário executivo da Fazenda, Nelson Barbosa, abocanha R$ 41,1 mil brutos mensais.

segunda-feira, janeiro 09, 2012

Megassalários dividem ministros



Gleisi Hoffmann (E) foi incumbida pela presidente Dilma de negociar o limite com o Legislativo e o Judiciário (Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 29/7/11)
Gleisi Hoffmann (E) foi incumbida pela presidente Dilma de negociar o limite com o Legislativo e o Judiciário
O pagamento de megassalários a autoridades, graças à participação em conselhos de administração e fiscais de empresas estatais e privadas, está dividindo o governo. A despeito de tantos ministros e secretários do Executivo estarem embolsando rendimentos superiores a R$ 32 mil por mês, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, é contra, embora até mesmo seu marido, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, seja um dos beneficiados. Gleisi continua favorável à inclusão das verbas recebidas de conselhos, conhecidas como jetons, no cálculo do teto constitucional do funcionalismo, correspondente ao vencimento do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), atualmente de R$ 26.723,13.“Não mudo de opinião”, mandou dizer a ministra, por meio de sua assessoria. Ainda senadora, Gleisi apresentou, em fevereiro de 2011, projeto de lei estabelecendo as remunerações que se submetem à regra do teto, entre elas, os jetons dos conselhos de administração e fiscais. No segundo semestre do ano passado, a ministra foi incumbida pela presidente Dilma Rousseff de negociar com o Judiciário e o Legislativo uma proposta do Executivo com o mesmo objetivo: o de relacionar as verbas que não podem ultrapassar o limite constitucional, incluindo aposentadorias e jetons de conselhos de estatais.


A decisão do Planalto foi tomada após as denúncias de recebimento de supersalários acima do teto por membros do Senado e do Judiciário, publicadas pela imprensa em 2011. A falta de uma lei regulamentando as regras do teto é a justificativa para deixar de fora algumas remunerações. A Câmara e o Senado, por exemplo, entendem que as gratificações por cargos comissionados não entram no teto.Reportagem publicada no domingo (8) mostra que autoridades na Esplanada estão engordando o salário de R$ 26,7 mil com participações em conselhos de estatais, dos quais recebem entre R$ 2,1 mil e R$ 23 mil brutos por mês. Com isso, ministros e secretários da área econômica estão embolsando salários totais entre R$ 32,7 mil e R$ 41,1 mil — não considerados os descontos. O ministro da Defesa, Celso Amorim, ganha ainda mais: R$ 45,7 mil, com um jetom de R$ 19 mil pago pela Hidrelétrica Itaipu.

Dois pesos
Embora a prática do pagamento de supersalários venha de outros governos, os parlamentares da oposição criticam a remuneração acima do teto e defendem a inclusão dos jetons no cálculo do limite dos vencimentos do funcionalismo. “É caso do uso de dois pesos e duas medidas. O governo pede um sacrifício enorme da sociedade ao não dar espaço para aumentos salariais merecidos, mas se comporta como um perdulário, quando o que está em questão é o salário de seus aliados na Esplanada”, afirmou o líder do PSDB na Câmara, deputado paulista Duarte Nogueira. Na visão do deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), os ministros não podem buscar subterfúgios para burlar a legislação. “É um exemplo muito ruim, principalmente vindo do governo federal. Isso afronta a dignidade do brasileiro”, diz.Para o deputado Rubens Bueno (PR), líder do PPS na Câmara, não deveria ser permitido a ministros e servidores ganhar acima do teto constitucional. “Não se pode manter a imagem de um país democrático em que a autoridade pública não dá o exemplo. O governo prega a austeridade, não concede aumento salarial ao servidor público, mas permite que seus ministros ganhem acima do teto do funcionalismo”, criticou. “O Planalto não faz nada para moralizar essa questão porque não quer incomodar os aliados que estão instalados confortavelmente nesses cargos”, acusou.

Resistência
O projeto de lei de Gleisi Hoffmann, que já tramita no Senado, e a proposta que está sendo elaborada pelo Palácio do Planalto incluem no cálculo do teto o valor de aposentadorias e pensões, gratificações de cargos comissionados e os jetons recebidos dos conselhos das estatais. Mas a resistência é grande dentro do próprio governo e do Judiciário, que é contra incluir  pensões e aposentadorias no teto. Os sindicatos de servidores públicos consideram um absurdo o acúmulo de salários e benefícios acima do limite constitucional. “Essa situação é uma pouca vergonha. O próprio governo utiliza manobras para elevar seus ganhos em 200% ou 300% desde 2010 e, para o servidor de carreira, a conversa é de contenção de despesas”, resume Josemilton Costa, secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).Ramiro López, coordenador da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União (Fenajufe), também defende a proposta de incluir os extras no teto constitucional. “O abate-teto deve valer para todos, sem exceção. Essas artimanhas não passam de um ‘jeitinho’”, afirma

Restaurant Week


A capital de Rondônia receberá nos próximos dias a I edição do Restaurant Week. O evento de iniciativa do programa Sabor da Terra, da RBN TV, canal 49, levará o portovelhense as mais variadas casas para saborear pratos da alta gastronomia a preços promocionais no almoço e jantar, com menus preparados por  renomados chefs de Porto Velho. Nomes como Don Giovanni, Igarapé, Peréas, Caravela do Madeira e Skinas deverão participar do inédito acontecimento.

Charge


Chamada escolar nesta terça

sábado, janeiro 07, 2012

Desonra, livro de John Maxwell Coetzee. Eu indico!


Professor universitário de literatura na África do Sul dos anos 90, pós apartheid, sofre processo porque se envolveu com uma aluna de 20 anos que, pressionada pelos pais e pelo namorado, o denuncia por assédio sexual. É criada uma comissão de inquérito na qual fica decidido que, para continuar lecionando lá ele deve fazer um pedido de desculpas oficial. Mas ele se recusa a cumprir o que a comissão manda e diz que seu ato foi movido por paixão e desejo, além do mais, não se arrepende. Essa história faz parte do livro Desonra, do escritor sul africano John Maxwell Coetzee, prêmio Nobel de Literatura em 2003.A negativa do professor sul-africano faz com que ele seja demitido da faculdade. Então ele viaja até a costa leste, onde mora a filha dele, e passa a trabalhar com a terra numa pequena propriedade. Mas aos poucos a realidade da África Negra começa a vir a tona, sobretudo depois que a fazenda da filha é assaltada por três negros que depredam tudo. Saqueiam. Roubam. Ateiam fogo no corpo do pai e estupram a filha do professor.Ainda assim ela não quer sair do local, pois tem uma relação visceral com aquelas terras a ponto de aceitar casar com um ajudante da fazenda, que já é casado e tem duas esposas, para desse modo conseguir reconstruir o local, já que ele possui parte da propriedade.Para a especialista Deisy Ventura, é importante destacar nesse livro que ele não cai em dicotomias fáceis, e é difícil até definir se o romance é ou não pós apartheid. “Não acho que ele seja pessimista, o personagem não consegue superar o lugar no qual a sociedade o colocou, num país onde a língua importa pouco e deixou de ser instrumento de diálogo, pois não dá mais conta de resolver os problemas do local.” Isso é ainda pior se pensarmos se tratar de um professor de literatura.Daisy comenta que o livro faz menção a uma questão anterior ao apartheid. O conflito entre os holandeses e os ingleses em relação ao Cabo da Boa Esperança, descoberto pelos portugueses, ocupado pelos holandeses e posteriormente, pelos ingleses, numa guerra cruel onde supõe-se que tenham sido inventados os campos de concentração.A outra especialista convidada, Rejane Pivetta, observa que o professor se sente fora do lugar por ser holandês e por estar numa situação onde o departamento de línguas clássicas foi desativado. “O romance mostra que essa intenção comunicativa da linguagem falhou, tanto em relação à África, quanto em relação com as mulheres a sua volta”.Segundo Rejane, o livro mostra uma perda gradativa do sentido humano da linguagem, como protocolo formal que não resolve as feridas profundas da sociedade e a dicotomia entre a civilização e a barbárie.Em se tratando de comparar a obra com o Direito, Deisy observa que o professor sofre o processo e não se defende e sua filha é estuprada e tampouco procura a punição dos culpados. “Isso de alguma forma mostra que as leis não dão conta dos problemas da sociedade”. Segundo a professora, nem a lei nem a linguagem conseguem cicatrizar as feridas da África do Sul.Do ponto de vista histórico, Deisy lembra que África do Sul adotou o nosso modelo e tenta fazer acreditar que vai funcionar. No entanto, organizar a sociedade juridicamente é uma situação formal, sem pensar em qual é o lugar do outro, sobretudo num modelo que se aplica a uma sociedade branca, colonizadora, civilizada. “O universo africano opera segundo outra lógica, um trabalho de tradução precisa ser feito”.Outra característica da obra, é que o livro espanca qualquer maniqueísmo, mostrando as mazelas e o politicamente incorreto de cada lado.

Charge


Ensino itinerante nos municípios

A Representação de Ensino de Cacoal desenvolveu nos meses de novembro e dezembro de 2011, o Projeto Ren Itinerante, atendendo assim, à solicitação do governador Confúcio Moura.O projeto consistiu em visitar cada uma das escolas estaduais de Cacoal, Espigão D’Oeste e Ministro Andreazza para reunião entre equipe técnica da Representação de Ensino e equipe escolar. Todas estas reuniões foram conduzidas pela representante de ensino, professora Fátima Gavioli que, com detalhes, explicou sobre as mudanças ocorridas na educação de Rondônia neste primeiro ano de governo Confúcio Moura. Citou a Escola de Cara Nova, a diminuição da carga horária do professor de 30 para 26 aulas semanais, a implantação dos conselhos escolares, a eleição dos diretores, o aumento no valor do (Programa de Apoio Financeiro) de R$ 3,00 para R$ 8,00 por aluno repassado diretamente às escolas trimestralmente, entre outras.Após a conclusão das visitas, a equipe avaliou o projeto como sendo de grande sucesso. Na educação é visível a transformação ocorrida em 2011. “A Ren Itinerante foi essencial para sanar as dúvidas dos servidores das escolas, por exemplo, todos sabiam do cancelamento do Joer-2011, mas quase ninguém sabia do investimento realizado pelo governo com a economia desse dinheiro”. Muitos foram os benefícios recebidos na Educação de Rondônia neste ano, mas muito mais vem por aí”. Para 2012, o Projeto Guaporé traz o Ensino Médio Inovador, que atenderá os alunos em tempo integral, a princípio atendendo 20 escolas, dentre estas, as escolas Carlos Drummond de Andrade, em Cacoal, Celso Ferreira da Cunha, no distrito do Riozinho, em Cacoal e Jean Piaget, em Espigão D’Oeste. Até 2014, a proposta é implantar o projeto em todas as escolas públicas estaduais. “É a educação pública melhorando, ajudando na construção de uma nova Rondônia”.

sexta-feira, janeiro 06, 2012

Chamada escolar 2012

O governo do Estado de Rondônia, através da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) dá início à chamada escolar para assegurar o acesso e a permanência dos estudantes nas escolas da rede pública de ensino. O período para o atendimento dos pais ou responsáveis será entre os dias 10 e 13 deste mês, nas escolas pólo, no horário das 08 horas às 17 horas. Nestas escolas estarão montadas estruturas com recenseadores para atender a todos, prestando esclarecimento sobre todos os procedimentos para garantia da matrícula dos alunos.A meta do Governo é atender da melhor forma possível a todos os pais e estudantes e que não serão medidos esforços por parte da Seduc para que seja dado acesso as vagas na rede estadual de ensino para quem pretender estudar. “A busca de pais e alunos por vagas nas escolas públicas é muito grande. Apesar do grande número de vagas ociosas tanto em escolas estaduais como municipais muitos pais querem ver os filhos estudando em escolas tradicionais, e para isso aguardam em listas de espera pela desistência de algum aluno remanejado. Por isso é importante todos comparecerem a chamada escolar”. Todos  interessados devem dirigir-se as escolas pólos para o atendimento nas datas indicadas, portando a certidão de nascimento do estudante, um comprovante de residência atualizado, a carteira de identidade do pai ou do responsável, procuração no caso de representante legal, o comprovante de escolaridade para aqueles oriundos da rede municipal ou de outros municípios e ainda o histórico escolar ou declaração que informe o ano/série de estudo. “A chamada escolar é muito fundamental, pois é neste momento que os interessados podem apresentar a documentação dos estudantes e será feita a verificação se existe a vaga na série e na escola pretendida, garantindo um controle por parte da Seduc de todos os encaminhamentos e solicitações para que nenhum estudante fique sem vaga na rede de ensino estadual”. Após ser feita a comprovação da existência da vaga na unidade escolar de preferência ou em outra escola, a Seduc expedirá o encaminhamento para matrícula dos estudantes entre os dias 16 e 18 de janeiro nas secretarias das escolas indicadas. No caso de não haver vaga na escola pretendida ou ainda na rejeição pelo pai ou responsável, será expedida uma solicitação de vaga e também um comprovante de comparecimento a chamada escolar e, neste caso, o período de atendimento às solicitações de vagas será entre os dias 25 e 27 de janeiro, na Representação de Ensino de Porto Velho, na Rua Júlio de Castilho, 500, centro. Os pais ou responsáveis legais que não comparecerem nas datas indicadas para efetivar a matrícula perderão o direito a vaga na escola pretendida ou disponível, ficando no aguardo do surgimento de outra possibilidade. “Estes casos serão analisados e acompanhados pela representação de ensino, que manterá informado o Ministério Público e Conselhos Tutelares sobre todo processo de chamada escolar”.

 
CALENDÁRIO DA REDE ESTADUAL DE ENSINO (Porto Velho e distrito de Jaci Paraná )
PERÍODOS
DATA E HORÁRIO
LOCAIS
CHAMADA ESCOLAR
10/01/2012      – 8:00 às 18:00
11 a 13/01/2012  _ 8:00 às 17:00
 
Escolas Pólos conforme tabela abaixo
MATRÍCULAS
16, 17 e 18 /01/2012.
Escolas indicadas no “Encaminhamento de Matrícula”
SOLICITAÇÕES DE VAGA NÃO PREENCHIDAS
(LISTA DE ESPERA)
25 a 27 /01/2012.
Representação de Ensino de Porto Velho
no endereço: Rua JúIio de Castilho, N. 500 – Centro.
 
 
 
POLOS DE ATENDIMENTO

ZONA CENTRO
1 - EEEFM Mal. Castelo Branco
End.: Av. Farquar, 2739 – Arigolandia,
2 - EEEFM Barão do Solimões
End.: Rua José Bonifácio, 351 – Centro
3 - EEEFM Dr. Osvaldo Piana
End.:Rua Montes Claros, 6614 – Nacional,
4 - EEEF 21 de Abril
End.: Rua Rafael Vaz e Silva, 2812 – Liberdade
5 - EEEFM Rio Branco
End.: Rua Rafael Vaz e Silva,1250- Nossa Sra. Das Graças
6 - EEEFM 04 de Janeiro
End.: Rua Gregório Alegre,  5761 – Aponiã
7 - EEEF Santa Marcelina
End.: Rua Belo Horizonte, 331 – Embratel
 

ZONA SUL
1 - EEEFM Estudo e Trabalho
End.: Rua Alexandre Guimarães,1340 –Areal
2 - EEEFM Eduardo Lima e Silva
End.: Rua Daniel Nery, 1089 – Nova Floresta
3 - EEEFM Pres. Tancredo Neves
End.: Rua Tancredo Neves, 4718 –
4 - EEEFM Bela Vista
End.: Rua Gov. Valadares, 3601 – Conceição
5 - EEEFM Juscelino Kubitschek
End.: Rua Raimundo Cantuária, 5129 – Agenor de Carvalho

ZONA LESTE
6 - EEEFM Flora Calheiros
End.: Rua Assis Chateaubriand, 7643 - Esperança da Comunidade
7 - EEEFM Orlando Freire
End.: Rua Rio de Janeiro, 4864 – Lagoa
8 - EEEFM Daniel Nery
End.: Rua Benedito Inocêncio da Silva ,SN JKI
9 - EEEFM Risoleta Neves
End.: Rua Edite Feitosa, 8158 – Tancredo Neves
10 - EEEFM Marcos de Barros Freire
End.: Rua Afonso Rivero, QD 15,2701 - Ulisses Guimarães
11- EEEFM São Luiz
End.: Rua Turmalina,  10015 – Jd. Santana
 
 
 
Distrito de Jaci Paraná
01 - EEEFM Maria de Nazaré dos Santos
End.: Rua Pedro Osório, ,181 – BR364 Km88, Velha Jaci-