quarta-feira, dezembro 30, 2009

Informação importante para o corretor de seguros

A Porto Seguro informa que a declaração de Inss - Carta de Eleição - entregue durante o ano de 2009 terá sua validade expirada nesta quinta-feira, dia 31. O corretor que optar pela centralização dos recolhimentos previdenciários em outras fontes pagadoras poderá entregar, até o dia 20 de janeiro de 2010, no departamento de Tributos, a declaração referente ao próximo exercício, indicando a empresa eleita, assinada com reconhecimento de firma e devidamente protocolada pela empresa de preferência. A centralização dos recolhimentos por meio das empresas do grupo poderá ser efetuada mediante preenchimento do formulário disponível no Corretor Online/Serviço/ Declaração Inss. As declarações entregues elegendo outras fontes de pagamentos até o prazo estipulado acima serão computadas na mesma competência, sendo estornada a contribuição previdenciária descontada no mês de janeiro/2010.Os documentos recebidos após o limite estabelecido serão computados na próxima competência vigente. Fontes: Jorge Clapp; Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

Seguro popular movimenta bilhões diz Sincor RO/AC

A partir de fevereiro de 2010, lojas especializadas na venda de material esportivo, vão vender também seguros. Serão apólices que protegem os esportistas contra acidentes pessoais e vão custar a partir de R$ 1,99. Uma delas é o exemplo mais recente do aquecimento do mercado de seguros massificados, apólices vendidas a baixos preços por meio de parcerias das seguradoras com o varejo e outros setores da economia. Com crescimento de 20%, o segmento deve movimentar R$ 1 bilhão em prêmios este ano. As margens atrativas e a baixa sinistralidade atraíram várias seguradoras para os massificados. Uma das últimas a entrar foi uma seguradora, que criou há pouco mais de um ano a Affinity e contabiliza vendas de 2,5 milhões de seguros populares este ano, a R$ 9,90 cada. "É o primeiro contato desse público com um seguro. Depois pode-se oferecer um seguro de automóvel ou um residencial", afirma um diretor do Sincor RO/AC. Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

terça-feira, dezembro 29, 2009

Geraldo Ramos explica como requerer DPVAT

Nem todas as pessoas sabem, mas para requerer o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre - Seguro DPVAT - não é necessária a intervenção de nenhum profissional da advocacia, por se tratar de uma medida administrativa, conforme informou o presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos. Ele explica que o DPVAT é um seguro administrado pela Superintendência dos Seguros Privados (SUSEP), obrigatório para todos os veículos que passam pelo controle do Departamento de Trânsito (DETRAN), indo desde motocicletas a caminhões, excetuando os veículos de 100 cilindradas, que são dispensados da passagem pelo Detran.De acordo com Geraldo Ramos, o DPVAT vai servir para indenizar, com uma quantia em dinheiro, toda vítima de acidente de trânsito, quer ela própria seja a responsável ou não. O corretor de seguros acrescenta que o seguro pode ser requerido por um período de até três anos e em qualquer seguradora. Após o requerimento, o prazo médio para depósito na conta da pessoa autorizada a receber é de 30 a 45 dias e não há necessidade da intervenção de um advogado, a não ser que a seguradora se negue a pagar a indenização e o assegurado tenha que recorrer à Justiça. "Ordinariamente, não temos dificuldades em que as pessoas recebam", afirma Geraldo Ramos. Segundo Geraldo Ramos, assim como várias outras cidades do país, onde ocorrem muitos acidentes de trânsito, em Porto Velho (RO) e em Rio Branco (AC) os índices de requerimento do DPVAT são elevados.



quarta-feira, dezembro 23, 2009

Charge


Dpvat será mantido

Em 2010, a Susep comunicou à Seguradora dos Consórcios do Seguro Dpvat, que para o ano de 2010 não ocorrerá qualquer alteração no valor do prêmio do seguro Dpvat - Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores - e importâncias seguradas.As coberturas por pessoas transportadas ou não nos veículos envolvidos em acidentes continuam: em caso de morte, R$ 13.500,00; de acordo com o grau de invalidez permanente são estabelecidos valores, chegando ao limite de também R$ 13.500,00, e para Despesas de Assistência Médica e Suplementares (Dams), é disponibilizado o valor de até R$ 2.700,00.

Faça seguro residência a R$10!

As férias dos moradores das cidades brasileiras nem sempre são sinônimo de tranquilidade e descanso. Muitos viajam, mas não conseguem se desligar da preocupação com o que pode estar acontecendo com sua casa ou apartamento. O que as pessoas não sabem é o quanto a contratação de um seguro residencial é acessível. A partir de R$ 10 mensais, ou seja, em torno de R$ 0,30 por dia é possível adquirir seguro residência e garantir a restituição dos prejuízos causados por um arrombamento. Este seguro possui ainda outras garantias que cobrem imprevistos como vendaval, incêndio, queda de raios, explosões e desmoronamentos. No total, são oferecidos 12 tipos de coberturas. As mais procuradas são as de incêndio, roubo, danos elétricos e vendaval. O valor final do seguro varia de acordo com o número e o valor das coberturas escolhidas. Para proporcionar a seus clientes ainda mais tranqüilidade, uma seguradora oferece também a cobertura atividades profissionais no seguro residência. Escritórios, consultórios, cursos, salão de beleza, atelier de fotografia e de costura, oficinas e serviços em computadores são algumas das atividades desenvolvidas no interior das residências e que contam com a proteção do seguro. “Estamos vivendo um momento em que muitas pessoas trabalham na própria residência e criamos uma cobertura para resguardar os equipamentos de trabalho destes profissionais”, afirma. Outra característica do seguro residência é a cobertura Despesas Extraordinárias. “Essa cobertura garante ao segurado um adicional de 10% no valor da indenização para cobrir as despesas não mensuráveis que normalmente não são cobertas nos seguros tradicionais, como, por exemplo, no caso de um roubo, o tempo que a pessoa ficou ausente do trabalho, gastos com a ocorrência policial, documentação etc,” afirma. A seguradora oferece para seus segurados a assistência 24 horas gratuitamente. Caso ocorra um imprevisto na residência, basta acionar a central de atendimento que um funcionário da seguradora vai até o local para tomar todas as providências emergenciais. Na eventualidade do proprietário estar fora da cidade, dependendo do evento e da cobertura, a seguradora providencia, até mesmo, passagens para a pessoa retornar à sua casa, caso esteja a uma distância superior a 100 quilômetros. A cobertura 24h inclui ainda o envio de chaveiros, bombeiro hidráulico (para vazamentos emergenciais), eletricista, vidraceiros e outros profissionais. Fontes: Sincor RO/AC; Zurich Minas Brasil e Ronseg, corretora de seguros.

terça-feira, dezembro 22, 2009

Geraldo Ramos, pres. do Sincor RO/AC,elogia Bittar

Teve grande repercussão na comunidade a notícia publicada pelo CQCS com a posição do presidente da Fenacor, Robert Bittar, a respeito da venda de seguros em lojas, bancas de jornais e farmácias que funcionam como "correspondentes bancários" do Banco do Brasil. "Esta idéia é a banalização do seguro e isto nós não vamos permitir", destacou Bittar na matéria.Em mensagens enviadas para o CQCS, o presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos, e vários corretores aprovaram a posição adotada pela federação.Foi o caso de Marcus Pereira, que parabenizou Robert Bittar. "Fico feliz ao constatar que a categoria consegue se unir, quando se trata de combater absurdos como este", comentou. Por sua vez, Carlos Aguiar salientou que os corretores devem mesmo se manifestar de forma enfática , pois a categoria pode até "acabar em breve se não tomarmos uma atitude séria". Para ele, a Fenacor e demais entidades de classe de corretores de seguro devem trabalhar em conjunto. "É o meu desabafo, pois lutei durante muitos anos para me qualificar e agora que estou devidamente habilitado vejo que tudo está sendo jogado fora", lamentou.Já o corretor Wladimir Oliveira se disse muito "feliz" com as palavras de Robert Bittar, embora não acredite que o BB vá voltar atrás nas suas intenções de "fazer o que quer e bem entende".O corretor Flávio Mueller disse estar orgulhoso diante das ações "em prol de nossa categoria".Na opinião dele, a postura de Robert Bittar merece elogios. "Nós somos profissionais na corretagem de seguros e os representantes eleitos por nós têm mesmo a obrigação de se posicionar em favor da classe. Como diz o ditado, não está morto quem peleia", observou.Fontes: Segs.com.br;Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

Geraldo Ramos, pres. do Sincor RO/AC apóia Armando Vergílio

Num almoço de confraternização do mercado, organizado pela CNSeg, no Rio, a entidade “lançou” a candidatura do superintendente da Susep, Armando Vergílio, a deputado federal por Goiás. “Todo o mercado deve torcer por sua eleição,”destacou o presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos. Armando Vergilio, que presidiu a Fenacor e a Escola Nacional de Seguros antes de ir para a Susep, já foi secretário de estado em GO em dois governos distintos. Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Recadastramento:corra para não pagar multa!

Faltam apenas 11 dias para o final do prazo estabelecido pela Susep para o que as corretoras de seguros sejam recadastradas. Caso os sócios dessas empresas não providenciem o recadastramento até o final deste mês, a multa pode chegar a R$ 300,00. É bom lembrar que, além do pagamento da multa, as corretoras não recadastradas estarão impedidas de operar com seguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência privada a partir de 1º de abril de 2010. O recadastramento é feito diretamente no Sincor ou na Fenacor. As solicitações podem ser efetuadas 24h por dias, todos os dias, inclusive nos finais de semana, para quem tem pouco tempo nos dias úteis. Fontes: Jorge Clapp; Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

domingo, dezembro 20, 2009

Charge

Geraldo Ramos, presidente do Sincor RO/AC prevê crescimento

Com base no faturamento do mercado de seguros e dados da Susep, o Sincor RO/AC admite que o setor deve crescer entre 16% e 20% em 2010. A estimativa é também da Superintendência de Seguros Privados (Susep), que prevê um bom desempenho no setor. O mercado que engloba as atividades de seguros, previdência, capitalização e resseguros deve fechar o ano com R$ 100 bilhões de faturamento.

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Senador Raupp:julgamento adiado para fevereiro de 2010

Mesmo com uma maioria formada no julgamento do pedido de abertura de processo contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), o caso foi mais uma vez adiado.Depois do ministro Celso de Mello, último que faltava votar, aceitar a denúncia do Ministério Público, formando um placar de seis a cinco, um debate sobre o caso foi iniciado.Ricardo Lewandowski, que ainda em 2007 havia sido favorável à abertura de processo e ontem reviu seu voto, tentou pedir vistas do processo. Marco Aurélio Mello, por sua vez, questionou o ato.Ponderou que, existindo uma maioria de seis ministros formada, e votos colhidos de todos os ministros, o pedido serviria somente para tentar, nos próximos dias, convencer Eros Grau a mudar de voto e impdir o aceite da denúncia.Irritado, Lewandowski disse que, como seu pedido de vista foi colocado sob suspeita, ele o retiraria.O relator do caso, Joaquim Barbosa, também reclamou da situação. Disse não entender um pedido de vistas quando todos já haviam votado e uma posição era vencedora.Para evitar que o caso fosse interrompido e que o inquérito ficasse com Lewandowski, Barbosa pediu adiamento do caso para que ele, que proferiu seu voto a dois anos e oito meses, pudesse novamente analisar os autos.Com o adiamento, o caso só deve voltar a julgamento em fevereiro do ano que vem.Raupp foi denunciado pelo Ministério Público por crimes contra o sistema financeiro internacional.Através do ministério do Planejamento, Raupp, então governador (1995-99), conseguiu um empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bird), no valor de US$ 167 milhões, para desenvolver o Plano Agropecuário e Florestal de Rondônia.Parte dos recursos, entretanto, teriam sido usados para saltar despesas diversas do Estado, o que caracterizaria transferência ilícita. (Severino Motta/blog de Ricardo Noblat).

Charge


Dpvat poderá cair explica Geraldo Ramos

O preço do seguro Dpvat, que não sofrerá reajuste em 2010, poderá ser reduzido em 2011, dependendo de uma série de estudos. Segundo a Susep e ao presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos, a partir do resultado desses estudos, é possível até que surjam novas formas de cobertura. Tudo depende das curvas das taxas de sinistralidade e as fraudes para ver o que pode ser feito”, entende Geraldo Ramos. Fontes: Jorge Clapp;Susep;Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Geraldo Ramos diz que Dpvat não deve subir no próximo ano

O seguro de sanos pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres (Dpvat), seguro obrigatório pago pelo proprietário do veículo junto com o licenciamento anual, não deve ter aumento em 2010. A informação é do presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos, com base em informações da Superintendência de Seguros Privados (Susep). De acordo com ele, um conjunto de medidas saneadoras, de combate à fraude no pagamento do seguro levaram à não aplicação de qualquer tipo de reajuste neste imposto, normalmente pago no início de cada ano, juntamente com o IPVA. "Vai ser mantida a mesma tarifa, o mesmo preço para 2009, para todas as categorias", disse.De acordo com a Susep, em 2009, o valor do Dpvat subiu em média 5% nas categorias veículos de passeio e táxi - sendo que, para motos, o preço do seguro não subiu, e ônibus e micro-ônibus contaram uma redução de 20%. A Susep está analisando um conjunto de medidas, ainda a ser lançado, para reduzir a inadimplência no pagamento do imposto entre os proprietários de motos.Fontes: Susep, Agência Estado, Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Corretor: a base do microsseguro

Em entrevista exclusiva à revista Previdência & Seguros, o presidente da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg), João Elisio, afirma que o corretor de seguros tem um papel fundamental no processo de implantação do microsseguro no Brasil. “O corretor de seguros é um aliado de primeira hora. No caso do microsseguro, imagino que sua participação também será relevante para atingir uma população de 100 milhões de pessoas”, comentou. Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.


terça-feira, dezembro 15, 2009

Seguro da casa ficará menor, admite Sincor RO/AC

Com as novas regras para os seguros da casa própria, que vão dar ao mutuário pelo menos três opções de cobertura a partir de janeiro, os preços dos seguros de imóveis ficarão 20% mais baratos no primeiro semestre do ano que vem, de acordo com a estimativa do presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos. As novas regras passam a valer no dia 20 de janeiro.Os mutuários que têm até 55 anos vão se beneficiar com o corte nos custos. Já os mais velhos não deverão ter alteração e continuarão pagando mais caro, já que o preço da cobertura por morte e invalidez varia de acordo com a idade do cliente. O cálculo do seguro por morte e invalidez funciona assim: quanto mais velho o comprador, na hora da contratação do financiamento, mais caro o seguro é.Fontes: Agora;Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

Ano dos notes

Depois de muita tensão por parte dos fabricantes de PCs, a MP do Bem foi finalmente renovada. O incentivo fiscal criado pelo governo para a fabricação local de equipamentos eletrônicos isenta os fabricantes de pagar PIS/ Cofins e foi prorrogado até 2014. O anúncio reforça as perspectivas para o setor em 2010. Após um ano estável, a expectativa é de que o faturamento de informática registre um salto de 12% em 2010. A alta deverá ser puxada pelos notebooks. A venda da categoria pode ultrapassar pela primeira vez o número de desktops de consumo vendidos. Os portáteis já foram os principais responsáveis para que o mercado de computadores não tivesse um desempenho ruim em 2009. Saiba mais sobre esse mercado.(Roberta Namour/Isto é Dinheiro).




Corretor de seguros quer conhecer necessidades da população

Em documento inédito, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra a presença do Estado e, consequentemente, as lacunas das três esferas de governo pelo Brasil, trazendo dados reunidos de diversos órgãos de governo com uma cobertura de cada uma das 5.564 cidades do País. O estudo mostra a estrutura física do Estado (União, estados e municípios) e a incidência de seus serviços no território nacional por unidade da federação e município.No site do Ipea, o corretor de seguros pode obter muitos outros dados valiosos para o seu dia a dia profissional . O endereço é www.ipea.gov.br (Jorge Clapp). Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

domingo, dezembro 13, 2009

E-commerce

A volta da Acer ao Brasil.Segunda maior fabricante de computadores do mundo retorna ao País e promete uma guerra de preços para alcançar a liderança no segmento de notebooks.A HP continua na liderança, de acordo com a Isto é dinheiro.

Certificação digital - PJ. Consulte o Sincor RO/AC

A partir do dia 1 de janeiro de 2010, as corretoras de seguros (pessoas jurídicas), estarão obrigadas, pela IN 969-SRF, a transmitir informações para a Receita Federal com uso de Certificação Digital. A Fenacor, informa o Sincor RO/AC, tem o Certificado Digital que sua Empresa precisa, ao melhor preço e condição de pagamento. Acesse www.acfenacor.com.br e adquira seu Certificado até o dia 31/12/2009, para evitar problemas. Fonte: Sincor RO/AC.

Charge


Charge


Sincor RO/AC no amazoniablog

News do Sincor RO/AC também no amazoniablog.blogspot.com
Visite!

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Venda irregular de seguros na mira da PF

O apelo de preços muito inferiores aos de mercado chamou a atenção da Superintendência de Seguros Privados (Susep), do Ministério da Fazenda, que começa a enquadrar as falsas seguradoras por atuarem no ramo de seguros sem autorização do governo federal. Só uma delas - a UPS Serviços Sociedade Brasileira de Gestão e Assistência Ltda., de São Paulo - foi condenada a pagar multa de R$ 7,05 bilhões por exercício irregular de atividade sem registro.Por não ter atribuição legal de fechar as entidades irregulares - pelo simples motivo de elas não serem seguradoras -, a própria Susep denunciou as entidades pelo comércio irregular de seguros ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal. Em agosto, saiu a primeira decisão condenando as falsas seguradoras no país, ainda em caráter liminar, envolvendo entidade que opera em São José dos Campos (SP).Alguns dos casos estão sendo investigados pela Polícia Federal, sendo que dois se tornaram objeto de ação penal. Segundo o auto de infração da Susep contra a UPS, aplicado em dezembro, a empresa oferece `plano de benefício social de apoio familiar`, que inclui seguro de vida, assistência funeral, acidentes e invalidez. No mesmo mês, a Susep multou, em R$ 53 milhões, a Associação dos Transportadores de Carga Geral, com sede em Maraú (RS), por formar clubes de seguros entre caminhoneiros. As duas empresas foram punidas por infringir a Lei do Seguro, estando sujeitas às sanções previstas no artigo 113 do Decreto-Lei 73/66.As multas aplicadas pela Susep são pesadas. O cálculo da importância a ser paga é feito com base na Resolução 60 do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNPS), de 2001. O texto da lei determina que as empresas estão sujeitas à pena de multa igual ao valor da importância segurada. No caso específico da UPS, equivale ao somatório das `vidas` que estão sob sua responsabilidade. De certa forma, a Susep quer acabar com as entidades que atuam no mercado paralelo ao das seguradoras. Por lei, toda atividade que capta dinheiro do público precisa ter lastro e ser controlada pelo estado. Para operar no mercado, as companhias de seguros necessitam de uma série de provisões, constituição de reservas e aplicações financeiras para fazer face ao pagamento das indenizações. Já as associações trabalham com o sistema de mensalidade e rateio.Waldemir Bargieri, diretor da Susep, admite que as entidades fiscalizadas desafiam o poder público e continuam operando normalmente, apesar de estar inscritas na dívida ativa com bilhões em multas. `Elas estão pouco se lixando para a multa. Ao contrário, tornam-se ainda mais dispostas a tomar o dinheiro dos incautos e aumentar o faturamento da empresa. Ao prometer algo que custa menos em relação ao mercado regulamentado, acabam iludindo a boa-fé das pessoas`, compara.Um exemplo é o que ocorreu com a auxiliar de cartório Danielle Fernandes de Moraes, de 23 anos, que ainda está pagando as prestações do primeiro carro, um Palio placa HWX-7279, com a ajuda do namorado, Pablo Luiz Firmo Novaes. Há três anos, o casal paga R$ 68 mensais para a Nossa Associação de Proteção aos Veículos Automotores, de Contagem (MG). Precisou usar o `seguro` em março, pela primeira vez, após se envolver em uma batida. Depois de três meses de espera, recebeu o carro desalinhado, com a pintura trincada e um para-choque diferente em relação ao anterior, com farol de milha que não funciona. `Nunca passei tanta raiva. Mandaram o carro para uma oficina de fundo de quintal, só de lanternagem e pintura, e o carro saiu do mesmo jeito. Já paguei R$ 1 mil do meu bolso pelo radiador`, afirma Pablo.O casal afirma não ter conseguido falar com o presidente da associação, João Luiz Neto, e relata ter sido intimidado pelos diretores e pelo advogado da entidade. Um atendente da Nossa Associação informou apenas que considera o caso como resolvido desde junho e que o serviço já está autorizado e pago. A reportagem tentou falar também com a diretoria da UPS. Detectou que os diretores não poderiam ser encontrados às 15h da sexta-feira, mas que os planos familiares continuavam sendo oferecidos normalmente, só que por intermédio de sindicatos.Paralelamente às multas bilionárias, começam a surgir as primeiras decisões na Justiça condenando as cooperativas e entidades ilegais a paralisar de imediato suas atividades. Cercadas por todos os lados - Ministério Público, Polícia Federal e Judiciário, além de responder administrativamente à Superintendência de Seguros Privados (Susep), que regula o mercado de seguros no Brasil -, entidades denunciadas já têm nova movimentação identificada. Para não interromper os contratos em andamento e deixar os associados na mão, pelo menos duas falsas seguradoras investigadas mudaram de nome ou incentivaram a transferência dos associados para nova entidade, criada com o mesmo objetivo. Sabemos que, ao responder a inquérito na Polícia Federal, algumas entidades simplesmente trocaram de nome para tentar fugir do processo, como é o caso da mineira Protecar. Mas não tem jeito, porque a ação penal é contra a pessoa dos dirigentes`, afirma Sérgio Duque Estrada, diretor de proteção ao seguro da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg), que defende os interesses das companhias de seguros.A Associação de Proteção e Benefícios aos Proprietários de Veículos Automotores (Protecar) está na lista das nove entidades investigadas pela Polícia Federal em Minas. Dessas, duas resultaram em ação penal perante a Justiça Federal. Seus diretores passaram a responder pelo crime de operacionalizar seguros sem autorização do poder público. Além da Protecar, está a Associação de Transportadores de Cargas do Leste de Minas (Astransleste), de Ipatinga.Outra entidade que pode vir a deixar os consumidores na mão, em tese, é a Associação de Servidores do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar de Minas Gerais (Ascobom). Com mais de 20 mil planos similares aos de seguros de veículos em andamento, a Ascobom responde a processo no Ministério Público no estado. Por meio da assessoria de imprensa, o promotor de Defesa do Consumidor, Edson Antenor Lima Paula, avisa que o procedimento aberto em relação à Ascobom, que teria perto de 40 volumes, entrou em fase final.O processo da associação dos bombeiros de Minas é similar ao da Associação de Proteção aos Proprietários de Veículos Automotores (Approve) que, em agosto, resultou na primeira manifestação do Judiciário em relação ao tema dos falsos seguros. Na decisão, a juíza Ana Paula Theodósio de Carvalho, da 5ª Vara Cível de São José dos Campos, São Paulo, determina a cessação das atividades da entidade, que continua funcionando, mas está proibida de aceitar novos associados e de cobrar dos antigos. Em Minas, na falta da Ascobom, o Centro Social de Cabos e Soldados (CSCS), que representa os praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, também aderiu à moda de fazer seguro automotivo para os militares. Quem liga para o telefone da entidade, logo é informado pelo atendimento eletrônico de que o centro também faz seguro de veículos em todo o estado, um filão e tanto, já que a corporação tem em seus quadros cerca de 47 mil pessoas. Parentes de militares também podem aderir.No site da entidade, eles anunciam os serviços a partir de R$ 32, mas nesse valor não está incluído o rateio mensal que todos os segurados têm de pagar para cobrir os sinistros. O seguro de um Fiat Palio, modelo 2005, fica em cerca de R$ 68 mensais mais o rateio, que varia a cada mês, dependendo da quantidade de registros de furto, acidentes e outras ocorrências.Fontes: Sincor RO/AC e Correio Braziliense.

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Charge


Preço do seguro permanecerá estável,afirma o presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos

Estudo realizada por uma renomada corretora de seguros indica que os preços dos seguros de ramos elementares, responsabilidade civil continuarão estáveis ao longo de 2010 para as grandes corporações. A pesquisa analisa o comportamento das taxas praticadas nos últimos três trimestres.De acordo com a pesquisa, disse o presidente do Sincor RO/AC, Gerald0 Ramos, o seguro de grandes riscos, depois de sofrer altas nos dois primeiros trimestres de 2009, especialmente para as carteiras expostas a catástrofe natural, as taxas praticadas no terceiro trimestre mostraram estabilidade. Como o resultado deste segmento mostrou-se lucrativo para boa parte das seguradoras, a oferta se mantém forte, o que aumenta a concorrência. “Para 2010 esperamos taxa estável, com uma certa pressão para baixo”, diz o estudo. Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

quarta-feira, dezembro 09, 2009

amazoniablog

Visite amazoniablog.blogspot.com

Novas news do SINCOR RO/AC

Cardiologista esclarece sobre doenças do coração

O cardiologista Eduardo Garcia disse que às vezes as pessoas confundem reumatismo com falta de circulação arterial nas pernas - sintoma mais comum da doença vascular periférica. Segundo ele, portadores do problema podem apresentar lesões ulceradas e gangrena nas extremidades, e até acarretar numa mutilação, se não for tratado corretamente. “Cerca de 60% dos pacientes que têm a doença apresentam outras complicações cardiovasculares, tendo risco elevado de sofrer infarto do miocárdio, derrame cerebral ou morte de origem cardiovascular”, alerta o cardiologista, da Sociedade Brasileira de Cardiologia em Porto Velho – Rondônia.

Charge


Sincor RO/AC ajuda você a pagar menos impostos

Parte dos valores investidos em planos de previdência privada neste final de ano pode ser abatida da declaração anual do Imposto de Renda Pessoa Física (até o limite de 12% do rendimento anual tributável). Então, o corretor de seguros, de acordo com o Sincor RO/AC, deve aconselhar os seus segurados sobre a melhor forma de aproveitar essa oportunidade proporcionada pela legislação. Além, é claro, de orientar esses clientes a respeito da importância de se investir em um plano de previdência complementar e garantir, assim, mais tranqüilidade no futuro. No caso da modalidade PGBL, a dedução é permitida a contribuintes que apresentam a declaração anual de IR no modelo completo. Ainda que a pessoa adquira um PGBL agora e não consiga fazer um aporte suficiente para abater os 12% na declaração de 2010, poderá descontar ao menos uma parte. É bom lembrar ao cliente que o investimento pode ser realizado para dar mais segurança ao futuro de um filho ou outro dependente. Para efeito de IR, isso também dá direito ao desconto.

Seguro popular, a porta de entrada para o mercado, de acordo com o Sincor RO/AC

O presidente do Sincor RO/AC, Geraldo Ramos, admitiu que o seguro popular é encarado como a porta de entrada para o mercado de seguros. "Depois pode-se oferecer a esse consumidor uma apólice de automóveis ou algum outro seguro", afirmou.Segundo ele, boa parte do público que está comprando o seguro popular não tem conta em banco. Por essa razão, a seguradora encara a estratégia de vender seguros para a baixa renda também como uma forma de levar novos clientes para dentro da instituição. "Muitas dessas pessoas estão tendo o primeiro contato na vida com um banco e podem virar um correntista", diz acrescentando que “o mais comum é o banco levar clientes para a seguradora”. Uma seguiradora está vendendo a R$ 9,90 por mês os seguros de acidentes pessoais, auxílio para funeral e títulos de capitalização. Essa é a embalagem que a seguradora formulou para atrair o público de baixa renda. A ideia é vender um pacote de seguros como aqueles combos dos restaurantes de comida rápida. No lugar do lanche, apólices e coberturas para um público que nunca teve seguro antes.A estratégia deu certo. Somente nos primeiros dez meses do ano, a seguradora vendeu 2,5 milhões de seguros populares, que incluem apólices de perda e roubo do cartão, acidentes pessoais e residencial. É uma média de mais de 11 mil seguros vendidos por dia útil. "Esse público gosta da ideia de comprar um combo, de ter um pacote de produtos", diz Geraldo Ramos.

terça-feira, dezembro 08, 2009

Geraldo Ramos, presidente do Sincor RO/AC lembra: fiquem atentos

Até junho de 2010, todas as empresas que operam sob o sistema de lucro presumido, incluindo corretoras, precisarão obter um Certificado Digital para que possam cumprir as exigências estabelecidas pela Instrução Normativa 969/09, da Receita Federal. Editada em outubro, essa norma estende a obrigatoriedade do uso da certificação digital na transmissão de arquivos para a Receita. Essa regra entra em vigor no dia 1º de janeiro de 2010. Esse fato atinge as corretoras de seguros recadastradas ou não, que precisam enviar documentos tais com a Dirf, Dctf ou Dipje deverão, agora, obter um certificado digital padrão ICP Brasil.Portanto, os diretores dessas corretoras devem obter a certificação digital o quanto antes. É bom lembrar ainda que, para assinatura da Declaração do Imposto de Renda das Empresas é admitida a utilização do certificado digital de pessoa física, mas somente no caso em que o sócio da empresa for o seu representante legal junto a Receita Federal. Nos demais casos, deverá ser emitido um certificado da Pessoa Jurídica.

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Sincor RO/AC alerta

Falta pouco mais de 20 dias para o final do prazo estabelecido pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para o recadastramento das corretoras de seguros. Os sócios dessas empresas não devem deixar para cumprir essa exigência legal na última hora, pois podem surgir imprevistos. Vale lembrar que quem descumprir esse prazo pagará multa. Além disso, as corretoras de seguros não recadastradas estarão impedidas de operar com seguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência privada a partir de 1º de abril de 2010. O recadastramento pode ser feito diretamente no Sincor RO/AC ou na Fenacor. As solicitações podem ser efetuadas 24h por dias, todos os dias, inclusive nos finais de semana, para quem tem pouco tempo nos dias úteis.Ronseg, corretora de seguros (69) 3222-0742.

Charge


sexta-feira, dezembro 04, 2009

Charge


Sincor RO/AC alerta sobre o fim

Faltam somente 24 dias para o final do prazo estabelecido pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para o recadastramento das corretoras de seguros (31.12.2009). Os sócios dessas empresas não devem deixar para cumprir essa exigência legal na última hora, pois podem surgir imprevistos. Vale lembrar!! Quem descumprir esse prazo pagará multa!!! Além disso, as corretoras de seguros não recadastradas estarão impedidas de operar com seguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência privada a partir de 01 de abril de 2010. O recadastramento pode ser feito diretamente no site http://www.fenacor.com.br/ ou no Sincor RO/AC. As solicitações podem ser efetuadas 24h por dia, todos os dias, inclusive nos finais de semana, para quem tem pouco tempo nos dias úteis. Fonte: Fenacor

Charge


Charge


Charge


quinta-feira, dezembro 03, 2009

Corretora não dispensará certificação

A partir do dia 1º de janeiro de 2010, segundo a instrução normativa 969/09, da Receita Federal, passará a ser obrigatório o uso da certificação digital na transmissão de arquivos pelas empresas de lucro presumido, incluindo corretoras de seguros.Portanto, os sócios dessas empresas não devem perder tempo, até porque, mesmo que sua empresa não esteja recadastrada, será obrigado a seguir aquela norma.Isso inclui dados referentes ao DIRF, DCTF ou DIPJ. O certificado digital exigido pela Receita deve seguir o padrão ICP Brasil. Fontes: Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Sincor RO/AC anuncia: premiação do corretor sai dia 14

Uma viagem de férias de seis noites a bordo de um navio, passando pelas praias mais famosas do Brasil, com direito a acompanhante e tudo de graça, eis o prêmio que vai dar para o corretor que for sorteado no dia 14 de dezembro pela Loteria Federal. Para concorrer, o profissional precisa estar com contrato vigente no Projeto Corretores Dpvat no dia 11 de dezembro. Isso significa que, para quem não fez a adesão ainda, há poucos dias para aderir ao projeto e concorrer ao sorteio. Além da viagem, o profissional que trabalha com Dpvat só tem a ganhar: recebe remuneração da Centauro, presta serviço de grande relevância social, tem acesso a treinamento e divulgação de sua empresa. Para saber mais e participar do Projeto acesse: www.centauroseg.com.br. Fontes: Viver Seguro; Sincor RO/AC e Ronseg, corretora de seguros.

Sobras de campanha!


COP-15

O jornalista e ativista ambiental Hércules Góes retornou de sua viagem a Brasília, onde participou de audiência pública com o embaixador Figueiredo do Meio Ambiente do Itamaraty, que coordena a parte ambiental da delegação do Brasil rumo à COP-15.Tratando de temas como a mitigação e do investimento financeiro dos grandes países em redução de gases de efeito estufa, o presidente do Fórum Permanente de Sustentabilidade da Amazônia, que dirige o Jornal, a Revista e a TV Ecoturismo, comandará um grupo de ambientalistas que discutirão temas em prol da humanidade, no movimento de reduzir os altos efeitos o clima que mexem com o aquecimento global.Góes lançará, na COP-15, os livros “O Grito da Amazônia Sustentável contra o Aquecimento Global” e “Do Pré-sal ao Aquecimento Global”. As obras de Góes, bilíngües, tratam dos temas que serão parte das discussões ambientais e de mudanças climáticas na capital da Dinamarca, entre os dias 7 e 18 de dezembro.Continuam chegando à direção do Fórum Permanente de Sustentabilidade, da CNTur e da Revista Ecoturismo, sugestões de envolvimento e apoios na COP-15; e, até Marina Silva, com que Góes se encontrará na Conferência do Clima, discutirá com o verdes os temas que mobilizam o planeta.

Bancos em Porto Velho são obrigados a providenciar empregados e melhorar atendimento

A Associação Cidade Verde (ACV) ingressou com ação civil pública em fevereiro de 2005 pedindo que a Justiça determinasse a onze agências bancárias de Porto Velho (RO) providências quanto ao número adequado de funcionários para atender o número de clientes idosos, fornecimento de água potável e acesso aos banheiros, além da construção se necessário.A ação foi julgada totalmente procedente no último dia 30, pelo juiz Jorge Luiz Gurgel do Amaral, da 2ª Vara Cível.O advogado da ação, Gabriel Tomasete, afirma que “demonstramos no processo que existem sim caixas preferenciais, mas a demanda é tanta que o atendimento fica demorado, contrariando as leis que regulam este assunto (atendimento prioritário) e o Estatuto do Idoso”.Tomasete explica que “na sentença o juiz acolheu os nossos argumentos e assinalou que o idoso faz jus ainda a atendimento imediato, ou seja, o próximo a ser atendido, independentemente de fila preferencial”. Segundo ele, esta decisão é possivelmente inédita no país e beneficiará milhares de consumidores de Porto Velho.